terça-feira, março 29, 2005

Morrer da cura

-Havia uma pessoa q estava a comer um bio danone e morreu com uma congestão.
-A sério? Porquê?
-Andava a tomar antibiótico!

Esta é dedicada ao Zarroba. Nem os mestres espirituais escapam à doença.

35 comentários:

Sofia Bento disse...

O sr. Zarroba está doente? :(
As melhoras rápidas, que esta casa já anda a ficar desgovernada.

Malik disse...

simplesmente genial

Gabriel_MM disse...

Eheheh... muito boa!
O Sr. Zarroba está doente? Eui posso rezar por ele, que eu estou muito perto de Fátima. Estou tão perto, tão perto, que até se vai para lá a pé! (Xiii, outra piada inventada por mim... ainda vou ser expulso, pelo meu mau gosto humorístico!)

RJT disse...

Confesso que foi um belo momento de inspiração quando criei esta piada - podia mesmo jurar que nesse momento parou de chover e um belo sol irradiou o Parque Industrial de Taveiro.

Cara Sofia, na saúde e na doença, o nosso mestre espiritual nunca nos abandona. Apesar da subtileza das suas intervenções (veja-se a resolução do problema do counter desaparecido), ele está lá, a zelar pelo nosso bem-estar.

Mr. Gabriel, nunca ninguém será expulso deste blog pelo mau gosto humorístico. Aliás, o pior que lhe poderá acontecer, se mantiver a fraca qualidade das suas piadas, é ser convidado a escrever para nós quando criarmos a nossa empresa de ficção humorística.

Sofia Bento disse...

O mistério do counter desaparecido! E eu a pensar que era problema do meu browser ou que ele tinha ido de férias! (se todos vós tivesseis visto o Chicken Run, agora poderia dizer "Espero não começar a fazer tricot")

HeroOfTheDay disse...

Peço desculpa mas isso não era o "Chicken Run". Isso era a "Fuga das Galinhas".

Sofia Bento disse...

Tem toda a razão, sr. Day (nota: dizer que uma pessoa tem razão não é um elogio). Que erro crasso o meu. Eu é que peço desculpa.

TRAlves disse...

A "Fuga das Galinhas" não é propriamente uma obra de referência, pelo que eu vi, mas não me lembro da frase em questão.

Quanto à doença do Sr.Zarroba, eu devo dizer que estou bastante preocupado. Um mestre espriritual não fica assim doente com uma coisa qualquer. A minha teoria é de que ele deve está a incubar (incubar... hehe) um vírus para o ajudar no seu plano megalómano de conquistar o mundo. Por trás daquela barba inocente está uma pessoa fria e calculista. Às vezes também é ao lado, quando se faz acompanhar do seu irmão, o Sr.RJT.

Sofia Bento disse...

Não é propriamente uma obra de referência?
Depende de como se vê.
Sr. TRAlves, tente ver desta maneira:

Bunty: In all my life, I've never heard such a fantastic load of tripe. Oh, face the facts, ducks. The chances of us getting out of here are a million to one.
Ginger: Then there's still a chance.

RJT disse...

Do "Chicken Run", perdão, do (e não "a", dado que continua a referir-se a "filme", e não ao seu nome específico) "Fuga das Galinhas", só me lembro de uma cena na versão dobrada em português, em que o galo americano diz: "Eu venho da terra da liberdade!" E diz uma galinha: "O quê, Grândola?" Achei genial.

HeroOfTheDay disse...

Lol, de facto essa é genial. Também me lembro.
E falando de traduções brilhantes de filmes animados, lembro-me das referências (extremamente imparciais, diga-se) ao Big Show Sic no DragonBallZ ou no "Toy Story".
E neste último também há o classissíssimo "Sou uma batata casada, sou uma batata casada", dita pelo grande José Raposo quando a sua personagem conhecia uma Barbie (a boneca mesmo).

RedScout disse...

Ninguém pode falar do Toy Story sem referir o célebre "Ao infinito e mais além". Ao citar isto lembro-me do "Para lá do que se vê" no Rei Leão III.

Voltando as galinhas... tenho vaga ideia da cena do tricot.

Quanto às traduções 'imparciais' nunca me esqueci de uma dos Moto Ratos de Marte: "Isto parece as Cenas de um Casamento"

RedScout disse...

classissíssimo
Não será antes classicíssimo? Pelo menos, vem de clássico...

HeroOfTheDay disse...

Provavelmente... É daquelas palavras que estou a escrever e a sentir que estou a dizer asneira ao mesmo tempo... Não a consegui encontrar no dicionário online da Porto Editora, mas suponho que exista e seja como tu disseste porque encontrei classicismo.

A tradução do "Ao infinito e mais além" é boa. No original é "To infinity, and beyond."

Já a da batata casada é um dos casos em que a tradução nunca é fiel ao original. O original é "I'm a married spud, I'm a married spud.". Embora "spud" queira dizer batata, é calão...

RJT disse...

Há uma cena que eu gosto muito no Shrek. É quando o Shrek está a dizer que os ogres são como as cebolas. A páginas tantas (esta é uma pequena homage a um certo e determinado professor da FEUC), o Burro diz:

"You know what else everybody likes? Parfaits."

Versão traduzida:
"Sabes o que é que toda a gente gosta? Mil-folhas."

Versão dobrada:
"Sabes o que é que toda a gente gosta? Lampreia de ovos."

RJT disse...

Onde se lê "versão traduzida" na tese de mestrado anterior, deveria ler-se "versão legendada"

RJT disse...

Onde se lê "tese de mestrado" na dissertação anterior, deveria ler-se "dissertação"

TRAlves disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RJT disse...

se um comentário é uma dissertação, então um post é o quê? podia ser um post uma dissertação, e um comentário podia ser um paper

TRAlves disse...

Ena! Eu ontem comentava. Hoje estou a dissertar! Por este andar, qualquer dia estamos a reiterar, a fazer postulados e por aí em diante.

Estou com medo... o meu vocabulário é muito... como se diz... pequeno.

Mamã! Ó' pra mim a dissertar! Yuhu!

TRAlves disse...

RJT: Mas depois viria a questão que tem afligido a humanidade nestes tempos: "Qual paper?"

RJT disse...

E depois eu viria a resposta "O paper". E acho que ninguém quer isso.

TRAlves disse...

Sim, mas perante a redundância da tua resposta, eu teria que pedir novos esclarecimentos e diria:
"Mas qual paper?"

RJT disse...

Exacto. E perante a tua insistência, e devido à inexistência de novas informações, eu teria de confirmar "O paper!"

TRAlves disse...

A questão do paper parece-me pertinente, mas não devia ser discutida sem antes estar resolvido o assunto do... ajudem-me!

RJT disse...

A questão do... ajudem-me! é, de facto, urgente. Todavia, primeiro temos que tratar da questão do muçulmáno, que é um indivídio que gosta de rebeintar. Desde miúdo que está habituado a rebeintar.

TRAlves disse...

É... como o Pipas que é um gajo que está sempre a ser gozado. Ele tentou rebentar um autocarro, mas a coisa correu mal. Rebentou-lhe só uma perna e agora estão sempre a dizer-lhe:
"Ó Pipas! Fecha as pernas! Tens uma aí e a outra está em Telavive!"

Coitadinho.

RJT disse...

Sim, porque havia alguns que metiam um alho no cu, para dar febre. Enquanto eu, oh, nem isto!

TRAlves disse...

Não era nada alho! Kunami e do bom! Tem um gosto que sabe mesmo a kunami e daí o nome.

RJT disse...

Não, desculpe. A minha mulher disse que era uma cabeça de alho chocho. Qual Kunami, alho chocho!

TRAlves disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RJT disse...

Desculpe sotôr! Desculpe... Não, desculpe, eu não o interrompi, agradeço que não me interrompa. O sotôr é uma besta, um inergúmeno. Sotôr, não interrompa! O sôtor quer fugir às questões essenciais, mas o sôtor é uma verdadeira nódoa. E digo mais: o sotôr faz xixi na cama!

TRAlves disse...

Tenho aqui escrito que o Sr.Tavares é um idiota! Fonte segura! Fui eu que escrevi!

Vem-me agora o menimo da cidade, ensimar-me a mim, que ando à 40 anos na FAINA?!

RJT disse...

Desculpe, mas o senhor TRAlves Tavares não tem 40 anos, logo, não pode andar há 40 anos na faina...

TRAlves disse...

TRAlves Tavares? Eu agora sou TRAlves Tavares?.....

..... snif... paizinho?