sexta-feira, março 04, 2005

Dúvida

Há algum tempo a esta parte que esta ideia me vem incomodando. E incomoda porque denota um erro. E um erro na língua, falada ou escrita, preocupa-me. Bem, não me preocupa, aborrece-me. Também não me aborrece, irrita-me.
Para mais, porque esta ideia apareceu assim no meu cérebro, imiscuiu-se no pensamento, sem razão aparente, e desde então tenho passado os dias (desde ontem) em claro. É que não consigo pregar olho durante todo o dia. E desconfio de que seja esta a razão.
Suspeito que este problema já vem de há muito porquanto experimentei a sensação de ter de falar de forma errada para as pessoas me perceberem. Pois se tento a dicção correcta, ninguém me entende.
A questão prende-se com o dizer de um email, por exemplo.
Costumo dizer: sofiabento at gmail dot com ou, em português, sofiabento em/no gmail ponto com. E acabo por ter sempre de dizer sofiabento arroba gmail ponto com.
O símbolo @, que se chama arroba (e não parece pesar 15kg), lê-se at ou, em português, em. Porquanto o email login@dominio.com significa que existe um sr. login em dominio.com.
Esta questão eu poderia minimizar, colocá-la a um canto, fingir que não sabia nada dela, não fora esta outra ideia que se me infiltrou ontem no cérebro e que, desde então, não me deixa descansar durante todo o dia.

Aqui há tempos, tomei a liberdade de chamar ao sr. Zarroba, nosso mestre espiritual, sr. Z@. E perante o exposto acima assola-me esta dúvida terrífica de como ler sr. Z@. Deverá dizer-se, incorrendo no tal erro, senhor Zarroba ou deveremos aprimorar a dicção e dizer senhor Zat ou, em português, senhor Zem? E neste caso, não será então errado escrever sr. Z@?

13 comentários:

RedScout disse...

Se o caracter se chama arroba, porque é que Z@ não pode ser Zarroba?
Em Inglês, @ é at que significa em/no. Então diz-se login at (nome do caracter)dominio. Em português diz-se login arroba (nome do caracter) dominio. Se há alguém culpado de este suposto erro (arroba em vez de em / no) é a pessoa que resolveu chamar arroba aquele a que está sempre cheio de frio e tras a manta as costas.
Já agora, alguém me pode dizer como é que se faz a rodinha a volta? É que eu já tenho o a mas não sei como é que ponho a roda a volta...

zarroba disse...

Ainda bem que expõe esta dúvida. Eu próprio não tinha pensado nisso até este momento. Mas agora que penso mais me convenço da minha espiritualidade. Porquê? porque se atentarem bem o escrever Z@, embora esteja errado levanta um segundo sentido que aparece não de propósito mas por uma força, quiça superior, que se manifesta nestas ocasiões.
É realmente errado dizer arroba na substituição do @ nos mails, exactamente pelo motivo que a Sofia levantou. Mas ao fazê-lo, levou à criação do nick Zarroba, que segundo a simbologia da Sofia é Z@. Se atentarmos ao significado correcto do símbolo, este deve ler-se Z em.Uma dúvida levanta-se: em quê? Aqui é que está o ponto fulcral da questão: em lado nenhum, que é o mesmo que dizer em todo o lado! Isto prova inequivocamente que 1) a minha religião (Budismo-Druida-Rastafari) está no caminho da Verdade divina e que 2) eu sou o verdadeiro transmissor da verdade.
(Sempre é melhor desculpa do que nascer de uma mãe virgem....)

TRAlves disse...

É uma daquelas questões que vão incomodando, mas nunca o suficiente para pensarmos a sério acerca delas... basicamente, como os ciganos. Passamos por eles, pensamos: "alguém devia fazer alguma coisa em relação a isto" e seguimos o nosso caminho.

Eu também não gosto do "arroba" e, como a Sra.Sofia, também já tentei não usar esta denominação. Tive sempre que repetir o endereço com este arranho de palavra para o interlocutor perceber. Parece ser incontornável.

A divindade do Sr.Zarroba é indiscutível... mas no campo do terreno, os seus milagres são eventos especiais... mas com probabilidades bastante elevadas...

RJT disse...

Não esquecer que Zat é uma arma usada pelos Goa'uld, que é uma espécie alienígena que usa como táctica para escravizar mundos fazerem-se passar por deuses. O que prova a falsidade desta religião.

Sofia Bento disse...

Os ciganos não me incomodam.

lagrymapreta disse...

Como eu sou nova nestas andanças gostava de saber se o mestre Zarroba fundou a sua religião com base em religiões preexistentes ou, pretendendendo ser completamente inovador, criou uma nova orientação espiritual com fundamentos nunca antes escritos em tábua, papel ou papiro.
É que Zem é extraordinariamente parecido com "Zen", que,em japonês, significa meditação e é um dos alicerces da religião budista.
Eu não quero ter que falar de conspiração mas, meus amigos, não vos parece uma coincidência demasiado gritante?
Será que o mestre zarroba é um charlatão (aquele que explora a boa-fé do público) e está a tentar "vender" uma falsa fé? E que à custa de discursos fantasistas esconde uma falta de originalidade tal que só lhe permite arranjar um nome espiritual através de manipulações de símbolos e palavras seculares?
Agradeçam à Senhora Sofia por brilhante exposição e que nos permitiu chegar a tão brilhante conclusão!

TRAlves disse...

Não posso concordar com a Sra.Lagrymapreta. Eu próprio já fui inundado pela sabedoria do Sr.Zarroba várias vezes. Ele não é nenhum charlatão (no máximo seria charlatinho). Ele é divino de uma forma particularmente terrena.

Respeito muito mais a raça cigana depois de ver alguns filmes do Kusturica. Mas alguns incomodam.

Sofia Bento disse...

A menina lagrymapreta tem ganho, pelas suas intervenções pertinentes e perspicazes, o meu mais profundo respeito, mas peço-lhe que não infira das minhas palavras coisas que eu não disse.
Esta questão, como qualquer outra nesta matéria de religião, não é passível de ser discutida. Ou se tem fé ou não se tem.
Também tenho dúvidas de que as semelhanças sejam assim tantas. Na escrita não são de todo: Z@/Zen, na dicção Z@ (que se leria Zem) também não me parece demasiado semelhante com Zen (que acentua o n).
Eu só queria dizer que simpatizo com o sr. Zarroba e se este cavalheiro se diz mestre espiritual, então eu acredito.

RJT disse...

"Como eu sou nova nestas andanças gostava de saber se o mestre Zarroba fundou a sua religião com base em religiões preexistentes"

Sim. A religião do Zarroba é budista-druida-rastafari, retirando por isso os seu fundamentos destas três religiões.

RJT disse...

Acho preocupante que uma pessoa possa respeitar uma raça, e acho ainda mais preocupante que isso tenha sido provocado por filmes.

Um dia destes, estava a ouvir uma notícia na rádio. 16% das crianças portuguesas são pobres. Apesar de tudo, valor inferior ao registado nos Estados Unidos (mais de 20%). Estavam 4 graus. Debaixo da ponte, três crianças aqueciam-se numa fogueira.

"They say an eye for an eye, we both lose our sight
And two wrongs don't make a right
But when you been wrong and you know all along that it's just one life
At what point does one fight?
Good question, right?"

Sofia Bento disse...

"Acho preocupante que uma pessoa possa respeitar uma raça, e acho ainda mais preocupante que isso tenha sido provocado por filmes."

Não me faça falar, sr. RJT, não me faça falar...

De qualquer forma, o autor já aumentou a sua conta de puxões de orelhas por causa desta asserção.

Gabriel_MM disse...

Uma vez vi uma cigana muito gira. Alguém me sabe dizer se há filmes porno com 2 (ou mais!) ciganas lésbicas? Eu pagaria um bom preço por eles!
Já agora... Eu não condeno a divindade do Sr. Z@! Aliás, eu acho muito mal que ele seja discriminado só por causa disso. Ele é divino, mas é bom rapaz. Não sejam "divinófobos", por favo...

RJT disse...

Aí está um grande comentário para se meter no dia da Mulher. Ou então não...