quinta-feira, março 24, 2005

Não há droga...

Gabriel_MM said...
Malta, já colocavam um "evento" novo (como se chama isto... um "post", não é?). Asas à imaginação. Exercícios de literatura. Romance, acção, poesia... escrevam qq coisa, para a malta comentar!

----------------------------

A gente sabe, isto vicia...
Tem calma Gabriel_MM, isso passa (ver o caso do Ivo Jeremias). Ainda me lembro quando eu ficava escandalizado quando havia um dia sem posts (fora do fim-de-semana, claro, porque o descanso é sagrado). Agora já aguento bem dois ou mesmo três dias úteis (!?) sem posts. Por respeito ao nosso mais recente comentador compulsivo, aqui fica uma espécie de metadona: um post que devia ser um comentário.

Já agora, aproveita a sugestão do TRAlves. Contribui para a Enciclopédia Parva.

7 comentários:

Gabriel_MM disse...

Tentei a "enciclopédia parva", mas fiquei retido por dificuldades processuais. Definitivamente, eu e a enciclopédia não falamos a mesma lingua. Não consegui fazer nada. Serei um atado? Oh não... o peso da revelação esmaga-me. Facto: não escrevi nada! Vou só dar um tiro na cabeça e já volto!

RedScout disse...

Se não há, compra. Ou será que precisas de falar com alguém do departamento financeiro para arranjares o dinheiro pra ela?

Gabriel_MM disse...

Eh pá, inventei a minha primeira verdadeira PIADA SECA! Acho que isto merecia um local de exposição mais "digno" (Post?), mas aqui vai. Antes, um pequeno preâmbulo: o primeiro a saber disto foi o amigo to-pe Alvim, no sábado à noite... na casa de banho de um bar (eu sei que isto não dignifica nem a mim nem a ele, mas...). Eis a dita piada, então:
-Encontram-se dois caroços de azeitonas no estômago, preparados para uma corrida. Lançam-se pelo intestino delgado... depois o grosso... até que se ouve o comentador desportivo anunciando: "atenção, os dois caroços aproximam-se do recto final"!

Gabriel_MM disse...

Deixo-vos uma ameaça: inventei outras piadas secas! Eheheheheh...
Mas nada temam, vou esperar pelas reacções antes de "publicar"! Quem sabe se não as guardo na gaveta para sempre, até um bisneto meu as descobrir, empoeiradas, e elas se tornarem as primeiras piadas secas apócrifas... quem sabe!

RJT disse...

Tenho que dizer que gostei bastante, apesar de não ser uma imagem que queira manter na cabeça. A informação adicional sobre as condições em que contaste a anedota também não ajuda.

De resto, bravo! Mete mais!

RJT disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Gabriel_MM disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.