quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Campanha Eleitoral

Em época de campanha eleitoral, resolvi analizar os slogans com que me deparo diariamente no meu caminho de casa .

PSD: "Coragem de fazer por amor a Portugal"
Obviamente que há um erro neste slogan. A minha dúvida é será que eles queriam dizer "Coragem de fazer amor por Portugal" ou "Coragem de fazer amor com Portugal"? Caso seja a primeira, penso que se encontram parados no tempo. Antigamente é que havia casamentos por conveniência entre as diferentes famílias reais de modo a fazer alianças e evitar guerras. Hoje em dia já qualquer um faz amor com que quer, não é preciso fazê-lo pela Pátria. Daqui concluo que eles deviam querer escrever o segundo slogan, o do "fazer amor com Portugal", mas neste caso não há novidade nenhuma. Que outra coisa tem sido feita senão foder o país?

JS: "O Futuro é agora"
Mas será que estes jovens nunca tiveram aulas de português? Agora é presente. Ou melhor, agora é um advérbio de tempo. O tempo da acção que se passa agora é que é presente. O futuro é o que virá depois do agora. Imediatamente a seguir ao agora é futuro, mas quando la chegamos já passa a ser agora e novamente presente. É melhor parar com isto, já estou a ficar confundido.

PP: "Eu chumbei a incineradora em Coimbra"
E depois? Eu também podia dizer "Eu chumbei a estocástica em Coimbra" ou "Eu chumbei a matemática computacional em Coimbra". O que é que interessa aos eleitores a vida académica dos candidatos? Além de que por mais que tenha chumbado, não deve ter acabado o curso enquanto não tenha feito a cadeira. Ou será que com este slogan está a querer captar votos dos estudantes dizem que, tal como eles, também tem cadeiras por fazer?

CDU: "Vamos dar mais força à CDU"
Se querem mais força há duas hipóteses: ou vão comprar ao hipermercado ou juntam-se a quem a faz. Como nunca vi força a venda no continente nem no jumbo (exceptuando a música da Nelly Furtado), acho que o melhor que têm a fazer é pedirem à UGT ou à União de Leiria.

???: "Eu voto em branco"
Não faço a mínima ideia de quem gasta dinheiro a fazer cartazes que apelam ao voto em branco, mas não deixa de ser uma coisa curiosa. Quer dizer, afinal de contas, todos vamos votar em branco, ou melhor, num boletim branco. Trata-se sem dúvida de uma redundância, bastava apelar ao voto, que obviamente tinha de ser em (boletim) branco.

E porque o blog também faz serviço público deixo aqui o apelo: votem!

19 comentários:

RJT disse...

Eu também queria fazer um apelo, para bem do país:
TRAlves, não votes.

Obrigado por me teres feito finalmente perceber o cartaz do PP. Realmente, vistas assim as coisas, até tem lógica.

RedScout disse...

Há ainda outro cartaz do PP, aquele do VOTO[Paulo Portas]ÚTIL. Esse já toda a gente sabe que foi um erro de perspectiva e que a foto do Paulo Portas ficou a tapar algumas letras. Só não se sabe é quais são as letras, se F ou se IN.

RJT disse...

Eu acho que poderia trabalhar numa campanha eleitoral. Tenho um slogan muito bom para a CDU:
"Lutar pelos que não têm voz!"

Sofia Bento disse...

Uma gripe deixou-me um pouco abalada, pelo que ultimamente não me apetece "ralhar" com ninguém, mas este post do sr. RedScout torna-se irresistível pela perspicácia de alguns pontos, que passarei a expor:

Quem viu o debate de ontem não pode deixar de sorrir ante o comentário "PP: "Eu chumbei a incineradora em Coimbra"" do sr. RedScout. E explicar, socorrendo-nos do já citado Eça, que o percurso académico interessa, e vejam como ele interessa:

"Ora tudo isto nos faz pensar - que quanto mais um homem prova a sua incapacidade, tanto mais apto se torna para governar o seu país!
E portanto, logicamente, o chefe do estado tem de proceder da maneira seguinte na apreciação dos homens:
- O menino Eleutério fica reprovado no seu exame de francês. O poder moderador deita-lhe logo um olho terno
- O menino Eleutério, continuando a sua bela carreira política, fica reprovado no seu exame de história. O poder moderador alvoroçado, acena-lhe com um lenço branco
- O caloiro Eleutério, dando outro passo largo, fica reprovado no 1º ano da Faculdade de Direito. O poder moderador exulta, e quer a todo o transe ter com ele umas falas sérias.
- O bacharel Eleutério, avançando sempre, fica reprovado no concurso de delegado. O poder moderador não pode conter o júbilo, e fá-lo ministro da justiça.
E a opinião aplaude!
De modo que, se um homem se pudesse apresentar ao chefe de Estado com os seguintes documentos: Espírito d etal modo bronco que nunca pôde aprender a somar; reprovações sucessivas em todas as matérias de todos os cursos. O chefe de Estado tomá-lo-ia pela mão, e bradaria, sufocado em júbilo:
- Tu Marcellus eris! Tu serás, para todo o sempre, Presidente do Conselho!"

Eça de Queiroz in Farpas, Livros do Brasil, p.63

Quem viu o debate de ontem sorri, nesta aproximação ao chumbo e ao mau aluno.
O mau aluno, que interrogado sobre uma acção gravíssima, aproveita o intervalo para que alguém lhe sopre a resposta. E como se isto não bastasse, não pede ou não consegue, a resposta à pergunta, pelo que, justifica e responde com as (más) acções dos colegas.

Parabéns, sr. RedScout, este post está simplesmente delicioso.

Sofia Bento disse...

Porque não deve votar o sr. TRAlves?

TRAlves disse...

Grande post, Sr.Scout. Uma boa análise política.

Já agora, eu não devo votar porquê? Digo mais, tenho ideiais políticos tão fortes que até sou capaz de fundar o meu próprio partido e digo desde já que uma das medidas seria dar um valente caldo so Sr.RJT!

RJT disse...

Antes de mais, cara Sofia, ainda bem que está melhor da gripe. Sentimos falta dos seus comentários, "ralhanços" e ameaças às orelhas alheias.

Quanto à razão que me fez apelar à abstenção de certa e determinada pessoa, são apenas divergências democráticas de opinião. Mas formar um partido também serve. Força Tiago, estou contigo!

TRAlves disse...

Sr.RJT, quer mesmo fazer parte de um partido cuja maior (e única) medida é dar-lhe um caldo?

Depois de um comentário fascizoíde como o primeiro, temos agora uma grande demostração de espírito democrático... não o compreendo, Sr.RJT, mas tudo bem!

RJT disse...

Sr. TRAlves, como é que fazer um apelo é "fascizoíde"? É porque se é, todos os partidos são "fascizoídes" quando apelam ao voto no seu partido.


Já agora, eu não disse que faria parte do teu partido, apenas que apoiaria a sua criação.

Sofia Bento disse...

Sr. RJT, não se deve apelar a não votar. Nestes casos, é preferível apelar ao voto em branco. Neste caso em particular, e segundo o que depreendi, é o que se aconselha.

Sofia Bento disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
TRAlves disse...

Desculpa, mas estás a queres limitar o meu direito ao voto só porque tenho uma opnião diferente da tua. Eu não tenho culpa de que tu estejas errado!

Bem... está-me a apetecer é ir aí ao andar de baixo e iniciar a campanha eleitoral directamente na tua nuca.

Sofia Bento disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
RedScout disse...

Já reparei que a maioria das pessoas não está a perceber a piada da CDU porque não se esforçam a tentar percebê-la. Percam dois minutinhos a ler e reler e vão ver que tudo faz sentido.

HeroOfTheDay disse...

Desculpa, mas estás a queres limitar o meu direito ao voto só porque tenho uma opnião diferente da tua. Eu não tenho culpa de que tu estejas errado!O quê? Não me digas que a tua religião também está filiada num partido, ou pior, está a pensar formar um partido! É que esse teu discurso "democrático" eu já ouvi noutro contexto...

RJT disse...

Sofia, isso de apelar ao voto em branco em vez de à abstenção é coisa de pseudo-intelectuais de equerda que gostam de Saramago. Agora que penso nisso... TRAlves, vota em branco.

Hero, tu estás um bocado obcecado com essa. Agora estávamos a falar de política, não de religião.

TRAlves disse...

Eu estou certo em (praticamente) todos os contextos.

RedScout disse...

Agora que tudo indica que o PS vai ganhar as eleições finalmente vamos ter chuva: É que o PS anda a apelar à humidade nacional!


A culpa de ter deixado de chover é do Jorge Sampaio. Então ele vai demitir assim um governo que se fartava de meter água?

Estas duas foram-me contadas ontem pela minha mãe :)

RJT disse...

Eu sei o porquê desta seca nunca antes vista. A culpa é nossa: desde que o blog foi criado ainda não choveu.