segunda-feira, novembro 21, 2005

Está...

...um frio do caraças.

11 comentários:

TRAlves disse...

... mete o cú no rio.

nunca percebi muito isto. Normalmente os rios estão ainda mais frios.

PERDI O JOGO!

RJT disse...

Não percebo a fixação do povo por cús. Também há a outra do "estás doente, ou é só o cú quente?"

zeto disse...

es k d zona?

Sofia Bento disse...

Eu devo dizer que até esta altura, nnunca tinha percebido o alcance desta frase, mas após a questão pertinente levantada pelo sr TRAlves, tentei ver o problema de outro ângulo e depois de quatro noites sem dormir e um estudo aturado sobre o assunto cheguei a esta descoberta fantástica: O povo ironeia!*
Estamos tão habituados a que o povo, sábio, nos diga como proceder, nos mostre os caminhos correctos, que nos esquecemos que o povo também faz uso da sua acutilância. E neste sentido podemos dar um significado quiçá mais próximo utilizando o tom (têm de ler isto mesmo em tom irónico senão não vamso lá):
"Ah, tens frio? Então mete o cú no rio! [para veres o que é mesmo frio]"
Vejam as meninas e os cavalheiros o que as coisas são. Uma pessoa a contar com a simpatia, a bondade do povo e afinal...
Isto já para não falar, a propósito da expressão dada pelo sr RJT, da capacidade atroz, também desconhecida até agora, do povo duvidar da palavra de um enfermo!!

* - Dado que acabei d einventar uma palavra, devo colocar aqui o seu significado:
ironeia - aquele que ironiza
E antes que os cavalheiros me acusem de impertinência, aqui vos deixo a resposta por antecipação: pois se o sr Malaca Casteleiro pode inventar palavras, porque não poderia eu?!

Sofia Bento disse...

Hmm... queria também aproveitar para pedir desculpa se por acaso, eventualmente, em alguma circunstância, demoli as V. ilusões sobre o povo.
Se isso me redime, confesso que eu própria fiquei varada com a desocberta que fizémos neste mestrado.

Atalaia disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Atalaia disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Atalaia disse...

Se o povo ironeia (R)

(R) - Direitos reservados de Sofia Bento

A Sofia Bento, das duas uma: ou inventrava* ou gramateia**

* 3ª pessoa do singular do pretérito imperfeito do verbo inventrar - que inventa palavras
** 3ª pessoa do singular do presente indicativo do verbo gramatear - que pontapeia a gramática.

Sofia Bento disse...

Bem, se o cavalheiro não se importa escolho o inventrar (R). Confesso que em termos fonéticos o gramateia (R) é mais sedutor, razão daquele r leve a seguir ao g (apesar do inventrar (R) trazer um som semelhante, acaba por se tornar mais 'duro', devido ao a aberto. Mas, pelo significado, o inventrava (R) aproxima-se mais. Ainda que me fique uma associação a "esventrava", que remeto para um sentimento tétrico.

(R) - Direitos reservados do sr. Atalaia

Gabriel_MM disse...

Quando o Atalaia fala, não consigo deixar de pensar no outro (o José Atalaia, maestro enorme e vociferante), e assim... bem, assim, é impossivel que as suas palavras sejam levadas a sério!
Relembro tb o afamado "Quanto mais a gente se baixa, mais o cú se vê", ou o recentemente descoberto (estava eu a rachar lenha, e o meu vizinho a fugir, com medo) "mais vale estar ao pé de um bom cagador que de um mau rachador" (a temática do cú, aqui, aparece implícita... ele está para o cagador como o machado para o rachador).
No passado mês de Maio ouvi um outro ditado, daqueles que quase merecia um post... mas pronto, apresento-o aqui de uma forma mais modesta:
"Não há Maio sem trovões, nem burro sem co**ões". Foi o Esquim Roque quem o disse, e a mini que tinha na boca (e parte já fazia o trajecto descendente, goela abaixo) saíu-me quase toda para cima do balcão, tal a convicção de sabedoria que o autor apresentava.

RJT disse...

Eu gosto do "Chuva em Novembro, Natal em Dezembro"