segunda-feira, maio 02, 2005

Jornalismo Seco II

De facto, uma pessoa pode viver enganada a vida toda. Não é que eu pensava que um por cento era igual a um ponto percentual? Que estupidez a minha...

Portugal baixou dependência do petróleo em 2,2 por cento

Portugal baixou a sua dependência da energia produzida à base do petróleo no ano passado de 59,3 para 58 por cento (2,2 por cento ou 1,3 pontos percentuais).


link

Acho que, depois disto, todos nós vamos assinar a edição paga do Público.

28 comentários:

RJT disse...

Já agora, a taxa de câmbio entre o por cento e o ponto percentual em vigor é: 1,69 por cento por ponto percentual.

RedScout disse...

Acho que percebo essas contas e vou tentar explicar...

Portugal baixou a sua dependência da energia produzida à base do petróleo no ano passado em 1,3 pontos percentuais de 59,3 para 58 por cento. Aqui acho que não há grandes dúvidas.

Portugal baixou a sua dependência da energia produzida à base do petróleo no ano passado 2,2 por cento de 59,3 para 58 por cento. Aqui é que pode haver mais confusões. Portugal dependia 59,3% da energia produzida à base do petróleo e passou a depender 58%, o que dá uma redução de ((59.3 / 58) - 1) = 2.2%

RJT disse...

Eu já tinha percebido essas contas, mas o jornalista que escreveu aquilo, claramente, não percebeu.

RedScout disse...

Estive a ler a noticia... aquilo é uma confusão de número e percentagens... acho que ninguém percebe aquilo!

HeroOfTheDay disse...

MAAAAAAAAAAAAAAN, isso significa que nunca vamos conseguir não depender do petróleo porque para que isso acontecesse teríamos de dividir por zero. Ora, isso é claramente uma java.lang.ArithmeticException. Bom, foi bom conhecer-vos, mas isto significa o fim da humanidade.

RedScout disse...

Tens duas hipóteses:
Ou colocas a instrução num bloco try / catch ou usas limites.

TRAlves disse...

Pois... é sabido que os jornalistas normalmente não têm queda para a matemática. Aliás, grande parte deles começam por frequentar o curso de Matemática e acabam por ter que desistir e...
Bem, eu pelo menos conheço uma pessoa.

RJT disse...

Que coincidência. Eu também conheço uma história parecida. Aliás, de uma pessoa que penso ter trabalhado neste mesmo jornal. Se calhar criou escola...

Sofia Bento disse...

"Aliás, grande parte deles começam por frequentar o curso de Matemática e acabam por ter que desistir e..."

...tiram uma licenciatura em jornalismo, fazem estágio no PÚBLICO, investigação em História, por causa disto exploram a web e os blogs, encontram velhos amigos :), conhecem o sábio Mr Perfect, e depois, deprevenidos, entram noutra casa e sofrem, desgraçadamente, penam de forma atroz e terrífica como castigo desse abandono, através de uma certa e determinada pessoas que tem uns certos e determinados calções insuportáveis ao olhar. (ah, se eu já não ganhei o céu...)

Quanto à edição paga. Acho muito bem. Pagar por pagar é preferível pagar por algo em que possa embrulhar peixe depois... :P

RedScout disse...

Embrulhar peixe? Lá em casa os jornais velhos servem pra limpar os vidros...

Sofia Bento disse...

Relativamente às imprecisões:
De qualquer forma, esta notícia não é do PÚBLICO, mas da Lusa, como podem verificar. O que não é desculpa. Mesmo quando a confiança numa agência é grande, há sempre que ler com cuidado para perceber se está claro.

RJT disse...

A minha confiança na Agência Lusa é enorme, sobretudo desde que foi para lá um sujeito qq de nome Delgado Sombrio (atenção: trocadilho inteligente entre Slim Shady e Luís Delgado).

HeroOfTheDay disse...

Sois um bando de StringTokenizers é o que é (que belo insulto, oh pah)! Pegam numa frase e retiram-lhe todos os tokens à espera que alguém invoque o nextElement() enquanto hasMoreElements(). Deplorável.

Sofia Bento disse...

Lá em casa também, sr RedScout.

No ínicio do livro "El Ocaso del Periodismo", José Martínez Albertos coloca a seguinte citação de Art Buchwald, colunista norte-americano, conhecido pelo tom irónico dos seus escritos:
"No existe ventaja alguna en reemplanzar el periódico impreso por un ordenador... es mejor llevar a cabo la distribución de noticias en algo que sirva también para envolver pescado"

Depois o autor pergunta ao leitor se este sorriu compreensivamente e se no fundo concorda, donde em caso afirmativo lhe dá mais de 30 anos. Caso o leitor não ache piada e desconfie do papel impresso como matéria adequada para embrulhar produtos higienicamente delicados como o pescado, então o leitor será jovem que não sofreu na sua formação inicial os traumas educativos de uma obsoleta mentalidade livresca... :)

Quanto ao director da Lusa, um director não faz uma agência, assim como um director não faz um jornal (olhem o PÚBLICO), felizmente. Se bem que assusta...

HeroOfTheDay disse...

"No existe ventaja alguna en reemplanzar el periódico impreso por un ordenador... es mejor llevar a cabo la distribución de noticias en algo que sirva también para envolver pescado"

HEY! Cyberpita alert!!! Ah não, é espanhol. My bad!

RedScout disse...

Castelhano, sr. Hero, Castelhano!

HeroOfTheDay disse...

Não sei se já disse isto, mas sois um grande StringTokenizer!!!!

RedScout disse...

Peço desculpa mas isso não compila... Talvez seja melhor fazer import java.util.StringTokenizer;

TRAlves disse...

Sr.Hero, não sei se chamar alguém de StringTokenizer será grande ofensa. Vou perguntar a um verdadeiro programador de Java que eu conheci numa formação.
Não é isso que estás a pensar! Ele é mesmo indonésio, e é programador!
Ele deve saber. Senão, pergunta a um jornalista. Eles sabem tudo.

Sofia Bento disse...

ah não! Os jornalistas não sabem quase nada... a vantagem é que sabem onde encontrar a informação rápida e eficazmente (os bons jornalistas) no caso de precisarem...

Sofia Bento disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sofia Bento disse...

Um amigo explicou-me o que era um "StringTokenizer". E eu lembrei-me disto.

Gabriel_MM disse...

Dissertantes experiências jornalisticas, é no que dá!
Ainda não compreendi a razão de ser desta discussão sobre jornalistas. Qualquer dia ofendem-se mesmo, dizendo que os jornalistas são aqueles (as) que no 9º ano tiveram negativa a matemática, e por isso foram para humanidades, mas depois até tiraram uma média fiche. E isso é uma injustiça, não é? Por isso, é melhor não irmos por aí. O essencial é ver o problema na sua fonte: para que serve um jornal?
Para informar? Mas a malta compra é o Correio da Manhã. Para ver gajas boazonas nas páginas centrais? Mas a GQ tem boazonas em todas as páginas. Daí que eu creio ter chegado a uma conclusão pertinente: a malta compra o jornal, porque vem o livro porreiro por apenas mais 4,90€.

RedScout disse...

Talvez se prestares melhor atenção aos comentários #7 e #9 chegues a alguma conclusão.

RJT disse...

O sr. HeroOfTheDay anda muito bem disposto. Então, qual é a sensação de ser um emigrante (ainda por cima um genuino, isto é, um benfiquista) que vai matar saudades da sua amada pátria?

RJT disse...

P.S: Já agora, o que é um StringTokenizer?

RedScout disse...

É isto!

Gabriel_MM disse...

Aaaaaaaaah... enfim, informação clara, concisa, objectiva, quase instintiva.
(Por favor, chamem um jornalista de volta, e levem daqui estes informáticos, que nós queremos conversar!)