quarta-feira, abril 20, 2005

Ratzinger vence!

Jó Ca: Sejam bem-vindos a mais uma edição da Taça Conclave. Já na sua 265º edição, este torneio reúne alguns dos mais talentosos executantes mundiais dessa modalidade que é o tuning humano. Como é hábito estamos na Praça de São Pedro em Roma e temos casa cheia, não é assim Zé Zito?
Zé Zito: Sim, é verdade. A bancada central encontra-se completamente a abarrotar com gente que veio de toda a parte do mundo para assistir a este magnífico evento.
Jó Ca: Falemos então das condições atmosféricas. Tempo nublado, mas não chove, o que é bom não só para os executantes como para o público. Esperemos que se aguente. Em luta pela vitória temos nada mais nada menos do que 6 biliões de pessoas, já que não é obrigatório que seja um dos presentes a ser eleito, não é Gabriel?
Gabriel: Assim é Jó. Boa tarde caros senhores telespectadores e bem-vindos a mais uma transmissão televisiva que se pretende cheia da magia e emoção que são a água que enche a garganta dos sedentos adeptos do tuning humano. De facto, não serão exactamente 6 biliões porque há determinadas condições que é preciso preencher para ser eleito. Andará, penso eu, à volta dos 10 biliões, portanto. Mas disso pode falar-nos melhor o Jorge, o perito nessas questões. Jorge, a ti a palavra.
Jorge: Bom, precisamente esta semana o International Board lançou um despacho onde afirma, no seu ponto 17, e passo a citar:
"O Simão é useiro e abuseiro nestas situações e como tal atirou-se para o chão."
Jó Ca:Aí está o nosso Jorge, como sempre a esclarecer todas as dúvidas. Gabriel, quem são os favoritos para hoje?
Gabriel:Bom, Ratzinger, jovem de 70 e picos anos, germânico, e como tal portador de toda a escola holandesa, tem-se evidenciado nos últimos encontros, demonstrando toda a sua aptência, o que se pode comprovar em afirmações como: "Podem meter os preservativos no c*", o que revela desde logo a sua posição favorável para com a homossexualidade.
Jó Ca:Hmm, hmm.
Gabriel:Depois temos uma mescla de talento de todos os 5 cantos da esfera que é o mundo. Americanos, Colombianos, Chilenos, Africanos, enfim. Mas quanto a mim a vitória será discutida entre Ratzinger, Tettamanzi, o Milanês de Florença, e, talvez com uma pequena chance, o nosso Policarpo, porque não?
Jó Ca: Acreditas mesmo nas possibilidades do nosso candidato?
Gabriel: Sinceramente não, mas como tal acho que é possível. E vice-versa.
Jó Ca: Está assim feita a antítese, (ou será metáfora?) do jogo.
Gabriel: Metáfora, confirmo.
Jó Ca: Ora bem, metáfora do jogo. Resta dizer que o árbitro é chileno e chama-se Arturo Medina Estevez. Os jogadores estão a postos, fecham-se as portas, começa a partida.
Gabriel: Não referimos ainda a constituição das equipas! Do lado esquerdo temos Ratzinger, Policarpo, Pompedda, Primatesta, Suquía Goicoechea, entre outros. Do lado direito, por onde já se evidencia Kasper, alinham Spidlik, Canestri, Macharski, Sterzinsky e também o outro favorito, Tettamanzi.
Jó Ca: Partida um pouco morna não?
Gabriel: É. As equipas desde cedo encaixaram uma na outra, talvez por terem optado por tácticas conservadoras que consistem no permanecer sentados em filas. Por outro lado, a condição física de alguns dos intervenientes também não é a melhor...
Jó Ca: E em termos de oportunidades?
Gabriel: Bom, Ratzinger já teve 4 soberanas ocasiões para acabar com isto, mas por uma razão ou outra acabou por não resultar.
Jó Ca: Atenção, passa-se agora alguma coisa. Estou com dificuldades em observar a acção.
Zé Zito: Pois, e a razão é simples. É que alguns energúmenos, que não têm outro nome, para além de selvagens e idiotas e mauzões, decidiram atirar very-lights para a arena. Fumo negro.
Jó Ca: Gabriel?
Gabriel: Sim, de facto não sei que dizer. Há gente, famílias exclusivé, que pagam 50% ou mais do seu ordenado para vir aqui e são confrontados com este tipo de espectáculo que só contribui para o denegrir da imagem do desporto no mundo.
Zé Zito: Fumo branco!
Jó Ca: E aí está! Atenção! O árbitro do encontro chega-se à varanda e diz "Habemus papam", dando assim por terminada esta 265ª partida. Fraquinho, Gabriel?
Gabriel: De facto. Sem surpresas. Ao contrário do que eu previ, Ratzinger vence à vontade. Jorge, o que dizer da arbitragem do Chileno Estevez?
Jorge: Bom, isto fez-me lembrar daquela vez em que o jogador estava em grandes dificuldades e eu meti-lhe o apito na boca para o salvar. Relativamente ao resto, arbitragem segura, apenas com um erro que foi a não expulsão de Simão que simulou a queda ao entrar em campo. As câmaras não o mostram, mas eu, mesmo daqui do estúdio, vi nitidamente.
Jó Ca: Gabriel, temos líder para o futuro?
Gabriel: OOOOOOOHHHHH! Sim. Claramente. Ratzinger é bastante jovem e será certamente difícil ao Chelsea de José Mourinho destroná-lo. Apostava mais no Aves do Professor Neca.
Jó Ca: Bom, e desde a Praça de S. Pedro é tudo. Voltamos em breve para a transmissão da 266ª edição do Conclave...

4 comentários:

Gabriel_MM disse...

Gabriel... Alves, ou MM? Se isto for um elogio à minha cultura papística, só posso responder com o meu sincero "bom conclave"!

Sofia Bento disse...

Grande post... falta só a conferência de imprensa... treinadores: tentámos, demos o nosso melhor, mas não conseguimos, temos ainda que trabalhar mais, blá, blá,... a primeira parte foi menos... mas na segunda já... mas, prontos, já deu para ganhar o jogo, mas vamos aprendendo...
ou
o Ratzinger é uma equipa coesa, e mostrou agora que quando se empenha...
depois os jogadores a falar tipo ciclista:
Ratzinger a falar: o Ratzinger é um rapaz esforçado, que trabalhou muito para chegar aqui e por isso o Ratzinger conseguiu esta vitória merecida.

RedScout disse...

Cheira-me a Gabriel... Alves e a Jorge... Coroado.
Já tenho mais dúvidas no que diz respeito a João Carlos Garcia e não atiro nomes para o Zé Zito.

RJT disse...

A morte do papa foi a melhor coisa que aconteceu a este blog nas últimas semanas. Realmente genial!