quarta-feira, agosto 10, 2005

Bárbara Emília, essa seca!

Um clássico que nunca é demais revisitar. A menina, cuja reputação a fastava das promessas de casamento, recorreu à ciência, personificada pela parteira da terra. Eis o "alvará" emitido:

"Eu, Bárbara Emília, parteira que sou de Coira, atesto e certufico pula minha onra que Maria de Jesus tem as partes fudengas tal e qual como nasceu, insceto umas pequenas noidas negras junto dos montes da crica que a não serem da nascença sarão porvenientes de marradas de piça."

Esta senhora é uma iluminada!

3 comentários:

Anónimo disse...

O ké k k os Jedis poem nas feridas???

Tintura de Yoda

Gabriel_MM disse...

Eheheh... muito boa! E inserida no espírito cá da casa!
Ouvi tb hoje, pelo Luis Filipe Barros (o das "Ondas Luisianas", da Antena 1), o seguinte (e sequíssimo!) comentário:
"É sabido que devagar se vai ao longe, apesar de levar um tempão". É de gente assim que o país precisa!

Anónimo disse...

a bárbara emília merecia era duas colheres de cócó!
zorba